Principais reivindicações

Reposição de Perdas e Aprimoramento da Carreira

Índice de 27,3% no piso da tabela considerando as perdas de janeiro de 2011 a julho de 2016;
Pelo aprimoramento da Carreira com correção das distorções, levando em consideração a racionalização dos cargos, piso de três salários mínimos e step de 5%; reposicionamento dos aposentados e pensionistas, e concurso público via RJU para todos os níveis de classificação;
Efetivação do Plano Nacional de Capacitação lançado em 2013;
Extensão, para os Técnico-Administrativos em Educação, do art. 30 da Lei 12.772/12, que trata de afastamento para realização de estudos de pós-graduação;
Por uma politica salarial permanente com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias; Estabelecimento de Data-base em 1º de maio;
Pela instituição da Ascensão Funcional;
Pela retirada dos projetos do Congresso Nacional que atacam os direitos dos trabalhadores;

 

Condições de Trabalho e Qualidade no Serviço Público

Turnos contínuos com redução da jornada de trabalho para 30 horas, sem ponto eletrônico e sem redução de salário;
Pela revogação da Lei que cria a EBSERH para gerir os Hospitais Universitários das Instituições Federais de Ensino e pela contratação de trabalhadores via concurso público (RJU);
Pela suspensão imediata dos cortes orçamentários nas Instituições de Ensino e recomposição do orçamento;
Construção/ampliação de creches nas Instituições Federais de Ensino, atendendo a demanda da comunidade acadêmica;
Construção de uma política de combate efetivo ao assédio moral nas Instituições Federais de Ensino;

 

Democratização das Instituições Federais de Ensino

Por um processo eleitoral no mínimo paritário para a escolha de gestores no âmbito das universidades públicas, de forma autônoma, com lista uninominal;
Por uma composição paritária nos conselhos superiores;
Pelo fim da criminalização das lutas e das perseguições aos dirigentes sindicais e ativistas nas Instituições Federais de Ensino Superior;